O Fantasma da Solidão – Livre-se Dele com Mudanças de Atitude

Estado de quem está só; retirado do mundo; isolamento. No dicionário, essas são algumas das expressões utilizadas para explicar o sentido da palavra solidão. Se na teoria o termo parece claro, na prática não é tão simples assim. Para o senso comum, ser solitário é viver isolado em um espaço sem nenhuma companhia. Porém, especialistas garantem que o lado mais cruel da solidão ocorre quando o indivíduo, embora cercado de pessoas, não consegue estabelecer conexões com o mundo e com quem está ao seu redor.
“Solidão não é estar separado dos familiares e amigos, mas sim estar desconectado deles” afirma a psicóloga e professora da PUC-SP, Dra. Adrianna Loduca.  Segundo a especialista, a falta de motivação para viver é uma das razões que causam o abandono de si e, consequentemente, um afastamento do convívio social. “Insatisfeita com a própria existência, a pessoa se torna solitária porque deixa de ter prazer nas suas relações”, diz.
Com relacionamentos superficiais e insatisfatórios, a vida se torna vazia de significado e a solidão, no seu pior grau, pode ser inevitável. “A solidão nesse sentido se torna patológica porque está no caminho inverso da evolução humana que envolve a convivência em grupo”, afirma a psicóloga Karina Haddad, do Instituto do Sono.
A solidão ainda pode se manifestar quando uma pessoa cria uma relação de dependência com outra no dia-a-dia, o que a impossibilita de seguir o seu próprio caminho. “Seja mães com os filhos ou esposas com os maridos, elas se tornam reféns do outro para poder ser feliz.”, diz Karina.
Se por um lado é natural experimentar a solidão mesmo quando se está rodeado de gente, por outro é possível viver só e, ainda assim, ser plenamente feliz. “Viver sozinho pode ser uma forma de independência. Não significa, contudo, estar solitário. A pessoa pode ter relacionamentos plenos em seu trabalho e escola”, afirma a psicóloga Márcia Ballaminut Cavalieri.
Mas é claro que ter uma vida bem resolvida e sentir prazer em estar sozinho não é para qualquer um. Pra quem não lida bem com a solidão, as especialistas recomendam, em primeiro lugar, identificar em si esse sentimento e, a partir daí, buscar meios para amenizá-lo. “A felicidade nunca vai depender do outro, mas de como você trata sua vida. Fazer o que traz prazer, valorizar os amigos, ter boas intenções, desfrutar do momento presente são atitudes que podem ajudar”, diz Karina. Além disso, é fundamental fazer planos. “Estabelecer um projeto de vida é essencial. Quando se leva um dia após o outro sem propósito, há muita solidão”, afirma Adrianna .
Como se vê, as possibilidades para espantar o fantasma da solidão são inúmeras. Para isso, bastar reconhecer o problema e escolher o melhor caminho. “Quando buscamos formas de refletir, seja em uma terapia, um livro, meditação, caminhada ou boa música, podemos encontrar modos de nos sentirmos melhores e, assim, ampliar nosso leque de possibilidades de conexões com as pessoas e com o mundo”, conclui Márcia.
Fonte: Mariana Teodoro em http://abiliodiniz.uol.com.br 

Sobre Roberta Mendes

Profissão:Publicitária Formação: Letras e Pedagogia Pós-graduação: Docência Universitária
Esse post foi publicado em Principal e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s